Ter um blog está definitivamente na moda, nem que seja para escrevermos daquelas coisas que ninguém quer ouvir...bem!!... como eu não ligo muito a essas coisices de moda, devo estar mesmo com necessidade de dizer coisas parvas e que não interessam nem ao menino Jesus :D Vamos lá ver o que sai daqui.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

ECO- insensível? Talvez!!

Neste aquário densamente povoado, onde é proibido respirar para não libertar CO2, onde os motores estão sujos das dejecções constantes por trabalharem só a metade de modo a poupar energia. Nem os mais fortes sobrevivem á opressão das águas turvas e frias das resistências desligadas que tocam as espinhas e as paralisam numa dança lenta de cabeça para baixo, empurrando o corpo adelgaçado em direcção ás pedras lavadas e lambidas por todos e mais alguns que neste cemitério controlado perderam ou perderão a vida.
.
Porque nos ambientes controlados as coisas também se descontrolam... parece mais fácil sobreviver no descontrolo natural da Natureza na qual o homem é peixe espontâneo do que no descontrolo dos ambientes controlados.
.

Sejamos inatos num aquário que também é nosso, e comportemo-nos como os outros animais, seguindo a lei da nossa Natureza, porque a morte é coisa certa … sejamos livres enquanto a espinha tem vivacidade para saltar as paredes de vidro permitindo que mergulhemos noutros mares…

“Porque no universo nada se ganha, nada se perde, tudo se transforma” Lavoisier

Pandora 2009

5 comentários:

Gravepisser disse...

Mais um grande texto, com o qual concordo inteiramente.
Escreves de uma forma artística sobre um tema importantíssimo da actualidade, o que é extremamente agradável de se ler.

Também eu sou um pouco eco-insensível, o único favor que tenho feito ultimamente ao planeta, é reciclar parte do lixo que vou produzindo, de resto, não me preocupo com quase nada...

A ideia é que eu já cá não estarei para assistir, quando a terra se tornar inabitável, e como a probabilidade de deixar descendência é cada vez mais remota, desde que chegue para vivermos confortáveis até ao final das nossas existências, é quanto basta para mim.

Até porque as mentalidades dos poderosos gananciosos que tudo fazem para destruir o ambiente, parecem inalcansáveis, e posto isto, nada há a fazer...

Um beijo

Melga disse...

e por vezes a transformação vai no pior sentido...mas que "coiso" este em que a auto regulação não funciona, assim teriamos o controle natural da natureza (passe o pleonasmo) sobre si...

Anónimo disse...

nao percebi nada, talvez por ter lido depressa, esta um pouco confuso pareceme

Pandora disse...

és um inculto ó joão...:P

joao disse...

não sou esse gajo anonimo. lol.