Ter um blog está definitivamente na moda, nem que seja para escrevermos daquelas coisas que ninguém quer ouvir...bem!!... como eu não ligo muito a essas coisices de moda, devo estar mesmo com necessidade de dizer coisas parvas e que não interessam nem ao menino Jesus :D Vamos lá ver o que sai daqui.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Separar residuos! Para quê e para quêm?

Quero aqui focar um tema que tem gerado alguma discussão nos últimos dias...

Em primeiro lugar, quero aplaudir o senhor/senhores que tiveram a brilhante e milionária ideia de manipular toda a população com os macaquinhos da reciclagem...diria mesmo que uma lavagem cerebral que demorou alguns anos a ser incutida mas que colocou grandes e pequenos a separar todo o lixo que produzem sem que se dêem conta que não passam de meros trabalhadores, não remunerados, que trabalham para os grandes milionários da reciclagem.

Todos os contentores de separação pertencem nem mais nem menos a empresas de recolha de resíduos, que ganham dinheiro com a venda do NOSSO lixo ( então e nós?!?!)...neste país existem n desempregados que poderiam ser remunerados para realizar esse serviço.

Apesar de eu não realizar separação de resíduos domésticos, compreendo que as pessoas o façam por uma questão de cidadania, porque querem um planeta mais limpo, porque acreditam que isso pode de certa forma melhorar a condição de vida das gerações futuras...parece-me um esforço minoritário enquanto os EUA e a China continuarem a poluir em massa...

Continuo a interrogar-me até que ponto isso nos beneficia ou se apenas aumenta a conta bancária dos senhores do dinheiro que usam e abusam da boa vontade do povo...

Já me chamaram de egoísta...não sei até que ponto o serei! Egoístas são esses senhores que vendem os nossos resíduos e que nem capazes são de deixar ás nossas portas um simples rolo de papel higiénico como forma de agradecimento...

(para que fique claro, eu não sou contra a reciclagem, até penso que é importante,cria muitos postos de trabalho e diminui o desgaste ambiental. No entanto, se existem empresas com fins lucrativos que se dedicam a esse serviço, eles que se encarreguem também do processo de separação...não me vejo na obrigação de ter de trabalhar para essas empresas quando na realidade eu não ganho nada com isso além de trabalho).

Pandora 2011

4 comentários:

Alex.B disse...

Cara amiga, a discussão não nos vai levar muito mais longe.

Posso compreender parte da tua indignação, mas não posso concordar com a tua atitude!

Tudo na vida envolve dinheiro, mas não é o dinheiro que está em causa, é o ambiente, a educação e a consciência!

Se para ti é impensável separar o lixo do papel, do vidro e da embalagem, uma simples acção que não custa nada, só porque alguém vai lucrar com isso, a única coisa que posso fazer, já que não consigo mudar a tua opinião, é ficar triste por ti!

Se não acreditas que possa haver uma mínima consequência desta acção para o ambiente e se não te importas com as mudanças climáticas porque daqui a alguns anos já cá não estás, então realmente não há o que discutir.

Não sou fanática pela reciclagem! Algumas vezes não separo adequadamente o lixo, por pressa ou preguiça, não lavo as embalagens, nem sempre espalmo as caixas de cartão ou as garrafas de água, mas sei que o certo é faze-lo e quando o faço não me sinto escrava por isso. Ninguém me fez uma lavagem ao cérebro, faço-o com prazer e consciente que contribuo, apesar de minimamente, para tentar salvar o “nosso” planeta! Vou continuar a faze-lo e continuar a ter esperança que um dia acordes para esta realidade!

“Grão a grão enche a galinha o papo” – Aplica isto à melhoria do ambiente e não ao dinheiro!

Pandora disse...

já tentei aplicar a isto á melhoria do ambiente e não ao dinheiro, mas não consigo encontrar grandes vantagens visto que não vou viever para sempre...durante o tempo que eu viver certamente não me vou sentir afectada...penso que as gerações futuras se vão adapatar a novos ambiente é assim que tem de ser, a espécie evolui e adapta-se ás adversidades...

Demogorgon disse...

O problema é que temos um país de caca, onde tudo é feito ao contrário, e por isso nunca chegaremos aos calcanhares da verdadeira civilização.

Por exemplo, no Luxemburgo, as pessoas pagam um valor ao estado, para que o seu lixo seja recolhido. É impensável, lá (como em muitos outros países), veres um contentor a abarrotar, sequer, lixo no meio da rua! E as pessoas, como reagem? CUMPREM! E ficam felizes da vida, por viverem num sítio onde se esfalfam a trabalhar, mas são recompensados por isso, pois vivem bem, num país em condições.

Por cá?

Esse problema que abordas é real... Tu andas a separar, para meia dúzia de papantes se abotoarem à nossa pala. Lavar embalagens??? Era só o que me dava a vida!

Separo algum lixo, sim, mas não sou maníaco com isso. Se eu vejo lixo por todo o lado, e ninguém se preocupa em mudar isso, porque hei-de eu perder o meu tempo?

Enfim.

(Gosto de te ler novamente, vê se voltas com mais frequência!) ;)

Um beijo

(Gravepisser)

Pandora disse...

Penso que as coisas poderiam funcionar de outra forma...fico sempre com a sesação que neste país se benificiam sempre os mesmos, deixemo-nos de repartir apenas o trabalho e começemos a repartir também as vantagens...

bjs Sr Gravepisser...quanto á assiduidade na blogosfera estou a tentar tratar do assunto ;)